A experiência histórico-educativa entre docentes indígenas no Ceará/Brasil (1988-2018).

Roberto Kennedy Gomes Franco

Resumo


O texto sintetiza as análises efetuadas durante a realização do pós-doutorado. Dialeticamente, investigou-se a “experiência” (THOMPSON, 2002; 1981) histórico-educativa entre os professores e professoras das escolas indígenas a partir do Estado do Ceará, no Nordeste brasileiro. Metodologicamente, focamos as vozes dos professores, que, entre outras coisas, reivindicam politicamente o direito ao trabalho docente indígena, ou seja, pela retomada do protagonismo de uma educação escolar com os povos indígenas e não para os povos indígenas. A percepção destes múltiplos “regimes de memórias” (OLIVEIRA, 2016) da consciência étnica dos trabalhadores docentes indígenas, faz-se pela retomada da terra expropriada, pelo reconhecimento da identidade violentada por genocídios e etnocídios, e ainda, como território de descolonização da educação escolar indígena na luta por terra, trabalho, educação, saúde, entre outros meios mínimos necessários à produção da vida para além do capital.


Palavras-chave


Experiência; Docência; Indígenas.

Texto completo:

PDF

Referências


AIRES, Max Maranhão Piorsky. De aculturados a índios com cultura: estratégias de representação do movimento de professores tapebas em zonas de contato. In: Max Maranhão P. Aires. (Org.). Políticas interculturais e escolas indígenas no Nordeste brasileiro. Fortaleza: EDUECE, 2009.

Alves, L. A. M. & Pintassilgo, J. (Coord.). História da Educação: Fundamentos teóricos e metodologias de pesquisa: Balanço da investigação portuguesa (2005-2014). Porto: CITCEM – HISTEDUP – IEULisboa, 2015.

ANACÉ, Angélica. Entrevista concedida a Roberto Kennedy Gomes Franco, 2017

ANACÉ, Júnior. Entrevista concedida a Roberto Kennedy Gomes Franco, 2017

BENJAMIM, Walter. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. Tradução Sérgio Paulo Rouanet. – 7ª ed. – São Paulo, 1994.

BRASIL. IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Características gerais dos indígenas no Censo Demográfico 2010 – resultados do Universo. Rio de Janeiro: IBGE, 2012.

CERTEAU, M. A escrita da história. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2000.

CUNHA, Manuela Carneiro da. Por uma história indígena e do indigenismo. In: Cultura com aspas e outros ensaios. São Paulo: Cosac Naify, 2009.

GALEANO, Eduardo. As veias abertas da América Latina. Porto Alegre: L&PM, 2012.

HOBSBAWM, Eric. A outra história: algumas reflexões. In: KRANTZ, Frederick (org.). A outra história: ideologia e protesto popular nos séculos XVII a XIX. Tradução: Ruy Jungmany. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1998.

KANINDÉ, Ivoneice. Entrevista concedida a FRANCISCO WALLISON BATISTA DE LIMA, 2015.

KANINDÉ, Suzenalson. Mesa-redonda. Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira, 2017.

MAGALHÃES, Justino; ESCOLANO, Agustín. Os Professores na História. 1. ed. Porto: Sociedade Portuguesa de Ciências da Educação/ Sociedad Española de Historia de la Educación, 1999.

MARIÁTEGUI, José Carlos. Mariátegui sobre educação. São Paulo: Xamã, 2007.

MARX, Karl. Teses sobre Feuerbach. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

MUNDURUKU, Daniel. O Caráter Educativo do Movimento Indígena Brasileiro(1970-1990), São Paulo, Paulinas, 2012.

OLIVEIRA, João Pacheco de. O Nascimento do Brasil e outros ensaios : “pacificação”, regime tutelar e formação de alteridades. Rio de Janeiro: Contra Capa, 2012.

Pintassilgo, J. & Mogarro, M. Historiografia portuguesa da educação: balanço e reflexões a partir do exemplo da história da formação de professores [versão eletrônica]. Educação 35 (01) 28-41, 2012.

PORTELLI, Alessandro. Forma e significado na história oral. A pesquisa como experimento em igualdade. PROJETO HISTÓRIA, 14, revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em História e do Departamento de História da PUC-SP, 1997.

POTIGUARA, Rita Elizangela Pereira da Silva. Entrevista concedida a Roberto Kennedy Gomes Franco, 2017

Rita Elizangela Pereira da Silva, índia Potiguara de Monsenhor Tabosa, diz assim

SOUZA, Maria Cecília Cortez Christiano de. A Escola e a memória. Bragança Paulista: IFAN-CDAPH. Editora da Universidade São Francisco/EDUSF, 2000.

STRECK, D; ADAMS, T; MORETTI, C. Pensamento pedagógico em nossa América: uma introdução. In: STRECK, D. (Org.). Fontes da Pedagogia latino-americana: uma antologia. Belo Horizonte: Autêntica, 2010. p. 19-35.

TAPEBA, João Kennedy. Entrevista concedida a Roberto Kennedy Gomes Franco, 2017.

TAPEBA, Weibe. II Conferência Nacional de Educação Escolar Indígena, 2017.

THOMPSON, E. P. Prefácio. In: THOMPSON, E. P. A Formação da Classe Operária Inglesa. Tradução Denise Bottman. Ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2002.

THOMPSON, E.P. A miséria da teoria, ou um planetário de erros. Rio de Janeiro: Zahar, 1981.

THOMPSON, Edward. Os românticos: a Inglaterra na era revolucionária. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2002.

SAVIANI, Dermeval. O debate teórico e metodológico no campo da história e sua importância para a pesquisa educacional. IN: SAVIANI, Dermeval; LOMBARDI, José Claudinei;




DOI: https://doi.org/10.14295/rbhcs.v10i20.481

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Revista Brasileira de História & Ciências Sociais - RBHCS

Qualis Capes B1 - A Nacional

ISSN 2175-3423

Desde 07 de março de 2009 

Programa de Pós-Graduação em História

Universidade Federal do Rio Grande - FURG

 

A Revista Brasileira de História & Ciências Sociais utiliza  Licença Creative Commons Attribution 4.0

Creative Commons License

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia