Percepção sobre as consequências e prejuízos de inundações: estudo aplicado em Pinhais, Paraná

Murilo Noli da Fonseca, Larissa Maria da Silva Ferentz

Resumo


Em conjunto ao aumento da ocorrência de desastres no meio urbano, também está o crescimento das preocupações pelos impactos negativos que as comunidades estão enfrentando. Tal situação ganha força à medida que diversos organismos internacionais e nacionais recomendam a realização de estudos que procurem compreender como os indivíduos percebem os riscos a que estão submetidos e se procuram por medidas que visem a sua redução. Com o objetivo de avaliar a percepção de indivíduos perante as consequências e prejuízos resultantes das inundações frequentes, foi realizado um estudo de caso no Conjunto Habitacional “Moradias Bonilauri” em Pinhais, no estado do Paraná. Ao todo foram aplicadas oito entrevistas com moradores, revelando que a percepção é um importante instrumento na compreensão da relação humano-ambiente, ainda mais para estudos sobre os riscos e vulnerabilidades socioambientais e para o planejamento, gestão do espaço urbano e aperfeiçoamento de uma gestão dos riscos às inundações.

Palavras-chave


Percepção de Risco; Desastres; Resiliência

Texto completo:

PDF

Referências


ABREU, Nair Júlia Andrade de; ZANELLA, Maria Elisa. Percepção de risco de inundações: estudo de caso no bairro Guabiraba, Maranguape-Ceará. Revista OKARA: Geografia em debate, v.9, n.1, p.90-107, 2015.

ALVES, Humberto Prates da Fonseca. Desigualdade ambiental no município de São Paulo: análise da exposição diferenciada de grupos sociais a situações de risco ambiental através do uso de metodologias de geoprocessamento. Revista Brasileira de Estudos de População, São Paulo, v.24, n.2, p. 301-306, 2007.

ANDRADE, Manoel Correia de. Geografia, ciência da sociedade: uma introdução à análise do pensamento geográfico. São Paulo: Atlas, 1987.

BERENT, Stanley. Psicologia introdutória: manual básico de auto-instrução. Trad. Rossine Fernandes. São Paulo: Editora Cultrix, 1981.

BORGES, Luciana; SABBAG FILHO, Omar. Reassentamentos Humanos em Programas de Recuperação de Mananciais sob a ótica do Desenvolvimento Sustentável. Monografia (I Concurso de Monografias – Desenvolvimento Sustentável no Paraná: Uma realidade Possível?) Núcleo Interdisciplinar de Meio Ambiente e Desenvolvimento (NIMAD), Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2001.

BUTTIMER, Anne. Aprendendo o dinamismo do mundo vivido. In: CHRISTOFOLETTI, António. (Org.). Perspectivas geográficas. São Paulo: DIFEL, 1982.

CLAVAl, Paul. O Papel da Nova Geografia Cultural na Compreensão da Ação Humana. In: CORRÊA, Roberto Lobato; ROSENDAHL, Zeny. (Org.). Matrizes da Geografia Cultural. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2001. p. 35-86.

COHAPAR. Companhia de Habitação do Paraná. Plano Estadual de Habitação de Interesse Social – área de conjunto habitacional degradado. Paraná, 2016. (Relatório)

COMEC. Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba. Relatório PROSAM 2001. Curitiba, 2001.

CUNICO, Camila. Do risco à adaptação: a identificação da vulnerabilidade socioambiental de Curitiba – PR. Tese (Doutorado) Programa de Pós-graduação em Ciências da Terra, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2013

DEL RIO, Vicente. Cidade da Mente: Cidade Real. In: OLIVEIRA, Livia de; DEL RIO, Vicente (org.). Percepção Ambiental: a experiência Brasileira. São Paulo: Studio Nobel, Universidade Federal de São Carlos, 1996, p. 3-22.

EM-DATA. Emergency Events Database. The OFDA/CRED International Disaster Database. 2017. Disponível em: http://www.em-dat.net/, acesso em: 10/12/2019.

GUHA-SAPIR, Debby; VOS, Femke; BELOW, Regina; PONSERRE, Sylvain. Annual Disaster Statistical Review 2011: the numbers and trends. CRED, Bruxelas, 2012. (Relatório).

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo 2010. Disponível em: https://censo2010.ibge.gov.br/, acesso em: 10/12/2019.

KOBIYAMA, Masato; CHECCHIA, Tatiane; SILVA, Roberto Valmir; SCHRÖDER, Paulo Henrique; GRANDO, Ângela; REGINATTO, Gisele Marilha Pereira Papel da comunidade e da universidade no gerenciamento de desastres naturais. In: Simpósio Brasileiro de Desastres Naturais, 2004. Florianópolis/SC. Anais... Florianópolis/SC: GEDN/UFSC, 2004. p.834-846.

LEOPOLD, Luna Bergere, WOLMAN, M. Gordon, MILLER, John. Fluvial processes in geomorphology. San Francisco: Freeman and Co. 1964.

MACHADO, Lucy Marion Calderini Philadelpho. Reflexões sobre a abordagem perceptiva no estudo da paisagem. Geografia, v.11, n.21, p.143-146, 1983.

MARANDOLA JR., Eduardo; HOGAN, Daniel Joseph. Natural hazards: o estudo geográfico dos riscos e perigos. Ambiente & Sociedade, v.7, n.2, p.95-110, 2004.

MARTINS, Joel. Um enfoque fenomenológico do currículo: educação como poíesis. São Paulo: Cortez, 1992.

MERLEAU-PONTY, Maurice. Fenomenologia da Percepção. São Paulo: Martins Fontes, 1994.

MONTEIRO, Ana. Riscos climáticos, hazards, áleas, episódios extremos. In: AMORIM, Margarete; SANT’ANNA NETO, João Lima; MONTEIRO, Ana. (Orgs.). Climatologia urbana e regional: questões teóricas e estudos de caso. 1. Ed. São Paulo: Outras Expressões, p. 143-171, 2013.

OLIVEIRA, Lívia. Percepção da Paisagem Geográfica: Piaget, Gibson e Tuan. Geografia, Rio Claro, v. 25, n.2, p.5-22, 2000.

OLIVEIRA, Lívia; MACHADO, Lucy Marion Calderini Philadelpho. Percepção, cognição, dimensão ambiental e desenvolvimento com sustentabilidade. In: VITTE, Antônio Carlos; GUERRA, Antônio José Teixeira (Orgs.). Reflexões sobre a geografia física no Brasil. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2004, p.129-152.

RELPH, Edward. As Bases Fenomenológicas da Geografia. Geografia. v. 4, n. 7, p.1-25, 1979.

SABBAG FILHO, Omar. Diretrizes para a recuperação e conservação ambiental de mananciais de abastecimento de água comprometidos por ocupações irregulares. Dissertação (Mestrado), Universidade Federal do Paraná – UFPR, Curitiba, PR, 2006.

SARTORI, Maria da Graça Barros. Clima e percepção em geografia: Fundamentos teóricos – A percepção climática e a bioclimatologia humana. Santa Maria, 2014.

TEIXEIRA, Salete Kozel. Das Imagens à Linguagem do Geográfico: Curitiba a “Capital Ecológica”. Tese (Doutorado), Universidade de São Paulo – USP, São Paulo, SP, 2001.

TUAN, Yi-Fu. Espaço e lugar: a perspectiva da experiência. São Paulo: Difel, 1983

_______. Topofilia - um estudo da percepção, atitudes e valores do meio ambiente. Londrina: Eduel, 2012.

TUCCI, Carlos Eduardo Morelli. Inundações e Drenagem Urbana. In: TUCCI, C.E.M. & BERTONI, J.C. Inundações Urbanas na América do Sul. Associação Brasileira de Recursos Hídricos, Porto Alegre, 1ª ed., 2003.

WORLD BANK INSTITUTIONS. The World Bank Annual Report 2010. United Nations, 2010.

ZANELLA, Maria Elisa. Inundações urbanas em Curitiba/PR: impactos, riscos e vulnerabilidade socioambiental no bairro Cajuru. Tese (Doutorado), Universidade Federal do Paraná - UFPR, Curitiba, PR, 2006.




DOI: https://doi.org/10.14295/rbhcs.v12i23.11135

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Murilo Noli da Fonseca, Larissa Maria da Silva Ferentz

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Revista Brasileira de História & Ciências Sociais - RBHCS

Qualis Capes B1 - A Nacional 

Desde 07 de março de 2009

A Revista Brasileira de História & Ciências Sociais utiliza  Licença Creative Commons Attribution 4.0

Creative Commons License

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia