Luta armada das esquerdas e justiçamentos: um estudo de(o) caso (São Benedito-CE)

Airton de Farias

Resumo


Os assassinatos de “inimigos da revolução” feitos pelas organizações de esquerda durante a ditadura civil-militar (1964-85) eram usados pelo governo ditatorial para justificar a repressão e provocavam polêmicas entre os próprios militantes. Um dos mais controversos deu-se no Ceará, quando do justiçamento do comerciante José Armando Rodrigues pela Ação Libertadora Nacional na cidade cearense de São Benedito, em agosto de 1970. O artigo trata de detalhes da ação, abordando aspectos políticos e representações dos grupos armados, a exemplo da crescente militarização e a crença no triunfo da revolução. É igualmente realizada uma discussão sobre as várias memórias construídas acerca do chamado “Caso de São Benedito” que, no geral, buscam diminuir a ênfase política da ação e ressaltar aspectos morais e pessoais.

Palavras-chaves: ditadura militar, esquerda armada, memórias.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14295/rbhcs.v12i23.10845

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Airton de Farias

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Revista Brasileira de História & Ciências Sociais - RBHCS

Qualis Capes B1 - A Nacional 

Desde 07 de março de 2009

A Revista Brasileira de História & Ciências Sociais utiliza  Licença Creative Commons Attribution 4.0

Creative Commons License

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia