A experiência histórico-educativa entre docentes indígenas no Ceará/Brasil (1988-2018).

Roberto Kennedy Gomes Franco

Resumo


O texto sintetiza as análises efetuadas durante a realização do pós-doutorado. Dialeticamente, investigou-se a “experiência” (THOMPSON, 2002; 1981) histórico-educativa entre os professores e professoras das escolas indígenas a partir do Estado do Ceará, no Nordeste brasileiro. Metodologicamente, focamos as vozes dos professores, que, entre outras coisas, reivindicam politicamente o direito ao trabalho docente indígena, ou seja, pela retomada do protagonismo de uma educação escolar com os povos indígenas e não para os povos indígenas. A percepção destes múltiplos “regimes de memórias” (OLIVEIRA, 2016) da consciência étnica dos trabalhadores docentes indígenas, faz-se pela retomada da terra expropriada, pelo reconhecimento da identidade violentada por genocídios e etnocídios, e ainda, como território de descolonização da educação escolar indígena na luta por terra, trabalho, educação, saúde, entre outros meios mínimos necessários à produção da vida para além do capital.


Palavras-chave


Experiência; Docência; Indígenas.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14295/rbhcs.v10i20.481

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Roberto Kennedy Gomes Franco

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Revista Brasileira de História & Ciências Sociais - RBHCS

Qualis Capes B1 - A Nacional 

Desde 07 de março de 2009

A Revista Brasileira de História & Ciências Sociais utiliza  Licença Creative Commons Attribution 4.0

Creative Commons License

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia