Sociedade e escravidão no Maranhão do século XIX

Autores

  • Yuri Michael Pereira Costa Universidade Estadual do Maranhão

Palavras-chave:

Maranhão. Sociedade. Escravidão.

Resumo

O texto analisa a província do Maranhão no século XIX, examinando suas características socioeconômicas e debatendo a estruturação e a dinâmica do sistema escravista nesse contexto. Apresenta, inicialmente, algumas características geográficas da província, discutindo seu processo de ocupação e a composição da sociedade no Oitocentos. Analisa a economia de fins do século XVIII e ao longo do século seguinte, dando ênfase ao apogeu da indústria monocultora e ao decadentismo que marca o discurso das elites após a derrocada da grande lavoura. Sobre o cativeiro, investiga os impactos no funcionamento do escravismo após a proibição do tráfico transatlântico, dedicando-se ainda ao estudo da distinção entre o trabalho servil no campo e na cidade. Busca, por fim, criticar as formas de resistência de negros e negras escravizados no Maranhão oitocentista.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Yuri Michael Pereira Costa, Universidade Estadual do Maranhão

Doutor em História pela UNISINOS. Professor Adjunto I do Departamento de História da Universidade Estadual do Maranhão

Referências

Bibliografia:
ALMEIDA. Alfredo Wagner Berno de. A ideologia da decadência: leitura antropológica a uma história de agricultura do Maranhão. 2. ed. Rio de Janeiro: Casa 8; Fundação Universidade do Amazonas, 2008.
ARAÚJO, Mundinha. Insurreição de escravos em Viana, 1867. 3. ed. São Luís [s.n.], 2014.
ASSUNÇÃO, Matthias Röhrig. Exportação, mercado interno e crises de subsistência numa província brasileira: o caso do Maranhão (1800-1860). In: CARVALHO, Claunísio Amorim; CARVALHO, Germana Costa Queiroz (orgs.). Pergaminho maranhense: estudos históricos. São Luís: Café & Lápis, 2010, p. 145-183.
BARROSO JUNIOR, Reinaldo Santos. Nas rotas do atlântico equatorial: tráfico de escravos rizicultores da Alta-Guiné para o Maranhão (1770-1800). 119f. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal da Bahia, Programa de Pós-Graduação em História, Salvador, 2009.
CABRAL, Maria do Socorro Coelho. Caminhos do gado: conquista e ocupação do sul do Maranhão. São Luís: SECMA, 1992.
COE, Agostinho Júnior Holanda. Higienizar para civilizar: a emergência de um discurso higienista em São Luís no século XIX. In: FARIA, Regina Helena Martins de; COELHO, Elizabeth Maria Beserra (orgs.). Saberes e fazeres em construção: Maranhão, séculos XIX-XXI. São Luís: Edufma, 2011, p. 11-33.
CRUZ, Mariléia Santos. Escravos, forros e ingênuos em processos educacionais e civilizatórios na sociedade escravista do Maranhão no século XIX. 217f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Araraquara, 2008.
FARIA, Regina Helena Martins de. Descortinando o Maranhão oitocentista. In: COELHO, Mauro Cézar; GOMES, Flávio dos Santos; QUEIROZ, Jonas Marçal; MARIN, Rosa E. Acevedo; PRADO, Geraldo (orgs.). Meandros da história: trabalho e poder no Pará e no Maranhão, séculos XVIII e XIX. Belém: UNAMAZ, 2005, p. 231-247.
______. Escravos, livres pobres, índios e imigrantes e estrangeiros nas representações das elites do Maranhão oitocentista. In: COSTA, Wagner Cabral da (org.). História do Maranhão: novos estudos. São Luís: Edufma, 2004, p. 81-111.
______. Mundos do trabalho no Maranhão oitocentista: os descaminhos da liberdade. São Luís: Edufma, 2012.
FERREIRA, Márcia Milena Galdez. Epidemia de varíola em São Luís: amálgama de crenças, saberes e fazeres. In: FARIA, Regina Helena Martins de; COELHO, Elizabeth Maria Beserra (orgs.). Saberes e fazeres em construção: Maranhão, séculos XIX-XXI. São Luís: Edufma, 2011, p. 35-66.
GOMES, Flávio dos Santos. A hidra e os pântanos: quilombos e mocambos no Brasil (séculos. XVII-XIX). 1997. Tese (Doutorado em História) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, São Paulo, 1997.
JACINTO, Cristiane Pinheiro dos Santos. Fazendeiros, negociantes e escravos: dinâmica e funcionamento do tráfico interprovincial de escravos no Maranhão (1846-1885). In: GALVES, Marcelo Cheche; COSTA, Yuri (orgs.). O Maranhão oitocentista. 2. ed. São Luís: Editora da UEMA; Café & Lápis, 2015, p. 241-167.
LIMA, Marcos Melo de. O trabalho como remição: os pretos pobres e o trabalho penal na cadeia pública de São Luís. In: FERREIRA, Márcia Milena Galdez; FERRERAS, Norberto O.; ROCHA, Cristiana Costa da (orgs.). Histórias sociais do trabalho: usos da terra, controle e resistência. São Luís: Editora da UEMA; Café & Lápis, 2015, p. 183-217.
MARQUES, César Augusto. (1870) Dicionário histórico-geográfico da Província do Maranhão. 3. ed. São Luís: Academia Maranhense de Letras, 2008.
MARTINS, Manoel Barros. Operários da saudade: os novos atenienses e a invenção do Maranhão. São Luís: Edufma, 2006.
MEIRELES, Mário Martins. História do Maranhão. São Paulo: Siciliano, 2001, p. 243.
MELLO, Evaldo Cabral de. O Norte agrário e o Império: 1871-1889. 2. ed. Rio de Janeiro: Topbooks, 1999.
PEREIRA, Josenildo de Jesus. Na fronteira do cárcere e do paraíso: um estudo sobre as práticas de resistência escrava no Maranhão oitocentista. 210f. Dissertação (Mestrado em História Social) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, Programa de Pós-Graduação em História, São Paulo, 2001.
REGO, Antônio Cândido de Moraes e. Apresentação. Almanak Administrativo da Província do Maranhão. São Luís, p. IV, 1.º jan. 1875.
REIS, João José; GOMES, Flávio dos Santos (orgs.). Liberdade por um fio: história dos quilombos no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.
REIS, João José; SILVA, Eduardo. Negociações e Conflito: a resistência negra no Brasil escravista. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.
SANTOS, Sandra Regina Rodrigues dos. A balaiada no Sertão: a pluralidade de uma revolta. São Luís: Editora da UEMA, 2010.
SILVA, Régia Agostinho da. A escravidão no Maranhão: Maria Firmina e as representações sobre escravidão e mulheres no Maranhão na segunda metade do século XIX. 324f. Tese (Doutorado em História Econômica) – Universidade de São Paulo. Programa de Pós-Graduação em História, São Paulo, 2013.
SOARES, Flávio José Silva. No avesso da forma: apontamentos para uma genealogia da Província do Maranhão. 370f. Tese (Doutorado em História) – Universidade Federal de Pernambuco, Programa de Pós-Graduação em História, Recife, 2008.

Impressos:
AGRICULTURA. A Flecha. São Luís, p. 3, 15 abr. 1879.
CASTRO, Augusto Olímpio Gomes de. Relatório com que o Exmo. Sr. Augusto O. Gomes de Castro passou a administração da província ao Exmo. Sr. primeiro vice-presidente, Dr. José da Silva Maia, a 19 de maio, e este ao Exmo. Sr. Desembargador José Pereira da Graça. São Luís: Tipografia Imperial de José Ignácio Ferreira, 1871.
EDITORIAL. Ordem e Progresso. São Luís, p. 1, 30 maio 1861.
MELO, João Capistrano Bandeira de. Relatório com que Exmo. Sr. presidente, conselheiro João Capistrano Bandeira de Melo, passou a administração da província ao Exmo. Sr. 1° vice-presidente, Dr. José Francisco de Viveiros, em 29 de abril de 1886. São Luís: Tipografia do Paiz, 1886.
RIBEIRO, Carlos Fernando. Relatório com que o Exmo. Sr. Dr. Carlos Fernandes Ribeiro, 1.º vice-presidente da província, passou a administração da mesma ao Exmo. Sr. presidente Ovídio João Paulo de Andrade, em 25 de setembro de 1883. São Luís: Tipografia da Pacotilha, 1883.
VASCONCELOS, Luiz de Oliveira Lins. Relatório que o Exmo. Sr. Luiz de Oliveira Lins de Vasconcelos leu perante a Assembleia Legislativa Provincial, por ocasião de sua instalação, no dia 22 de setembro de 1879. São Luís: Tipografia Imperial de Ignácio José Ferreira, 1879.

Manuscritos:
MARANHÃO. Secretaria de Polícia. Chefatura de Polícia. Livro de Registro de Crimes e Fatos Notáveis. In: ______. Arquivo Público do Estado do Maranhão. Setor de Códices. Livro n. 2.112 (1860-1873). São Luís, 1873.
______. Secretaria de Polícia. Chefatura de Polícia. Livro de Registro de Crimes e Fatos Notáveis. In: ______. Arquivo Público do Estado do Maranhão. Setor de Códices. Livro n. 2.113 (1873-1881). São Luís, 1881.
______. Secretaria do Governo. Ofício ao juiz de paz do 1.º distrito do Mearim, 26 abr. 1849. In: ______. Arquivo Público do Estado do Maranhão. Setor de avulsos. Secretaria de Governo. Registro da Correspondência do Presidente da Província com os Magistrados. Livro 475 (1849-1851), fl. 22v, São Luís, 1849.
______. Secretaria do Governo. Ofício solicitando ao senhor José Henrique informações, 26 set. 1853. In: ______. Arquivo Público do Estado do Maranhão. Setor de avulsos. Secretaria de Governo. Registro da Correspondência do Governo do Maranhão com diversas autoridades. Livro 83 (1852-1854), fl. 88, São Luís, 1853.
______. Secretaria do Governo. Ofício ao capitão José Luís Teixeira Lopes, delegado de Polícia do termo de Santa Helena, 16 nov. 1854. In: ______. Arquivo Público do Estado do Maranhão. Setor de avulsos. Secretaria de Governo. Registro da Correspondência do Governo do Maranhão com diversas autoridades. Livro 299 (1854-1856), fl. 50, São Luís, 1854a.
______. Secretaria do Governo. Oficio ao conselheiro ministro e secretário de Estado dos Negócios da Justiça, 27 fev. 1854. In: ______. Arquivo Público do Estado do Maranhão. Setor de avulsos. Secretaria de Governo. Registro da Correspondência do Governo do Maranhão com diversas autoridades. Livro 421 (1854-1855), fl. 9, São Luís, 1854b.
______. Secretaria do Governo. Ofício ao inspetor do Tesouro Público Provincial. 21 mar. 1855. In: ______. Arquivo Público do Estado do Maranhão. Setor de avulsos. Secretaria de Governo. Registro da Correspondência do Governo do Maranhão com diversas autoridades. Livro 749 (1855), fl. 1v-2, São Luís, 1855.
______. Secretaria do Governo. Ofício ao juiz de direito da Comarca de Turiaçu, 23 out. 1858. In: ______. Arquivo Público do Estado do Maranhão. Setor de avulsos. Secretaria de Governo. Registro da Correspondência do Presidente da Província com os Magistrados. Livro 482 (1858-1859), fl. 83-84, São Luís, 1858.
______. Secretaria do Governo. Ofício ao ministro e secretário de Estado dos Negócios da Guerra, 13 dez. 1860. In: ______. Arquivo Público do Estado do Maranhão. Setor de avulsos. Secretaria de Governo. Registro da Correspondência do Governo do Maranhão com diversas autoridades. Livro 388 (1859-1861), fl. 103-103v, São Luís, 1860.

Downloads

Arquivos adicionais

Publicado

2018-12-14

Como Citar

Costa, Y. M. P. (2018). Sociedade e escravidão no Maranhão do século XIX. Revista Brasileira De História &Amp; Ciências Sociais, 10(20), 241–263. Recuperado de https://www.rbhcs.com/rbhcs/article/view/10769