Do maravilhoso ao desencantamento: Olhares sobre a natureza no cerrado nos séculos XVIII e XIX

Autores

  • Pepita de Souza Afiune Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais e Humanidades: Territórios e Expressões Culturais no Cerrado – TECCER / UEG. Recebe apoio financeiro da Universidade Estadual de Goiás através de bolsa Stricto Sensu.
  • Eliézer Cardoso de Oliveira Doutor em Sociologia pela UnB. Docente do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais e Humanidades: Territórios e Expressões Culturais no Cerrado – TECCER da Universidade Estadual de Goiás e Professor do curso de História (UEG).

DOI:

https://doi.org/10.14295/rbhcs.v7i14.235

Palavras-chave:

História de Goiás, Representações sobre a natureza, Desencantamento do mundo

Resumo

O objetivo do artigo é analisar as representações diferenciadas sobre o cerrado goiano. No século XVIII, relatos de bandeirantes e colonizadores expressaram uma visão maravilhosa da natureza, como um lugar de riquezas expressas nas singularidades das formas geológicas. Já no século XIX, no contexto da emergência do racionalismo científico, o cerrado foi visto, tanto por viajantes-cientistas (como o austríaco Pohl), como por políticos-exploradores (como Taunay) de modo desencantado, sendo enfatizado a sua pertinência para o desenvolvimento da ciência ou para o desenvolvimento econômico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pepita de Souza Afiune, Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais e Humanidades: Territórios e Expressões Culturais no Cerrado – TECCER / UEG. Recebe apoio financeiro da Universidade Estadual de Goiás através de bolsa Stricto Sensu.

Discente do Programa de Mestrado em Ciências Sociais e Humanidades. Área de concentração: Territórios e Expressões Culturais no Cerrado (TECCER) da Universidade Estadual de Goiás (UEG). Bolsista do Programa Próprio de Bolsas da Universidade Estadual de Goiás. Possui graduação em História pela Universidade Estadual de Goiás e Pós-Graduação Lato Sensu em Tecnologias em Ensino a Distância. Atua e desenvolve pesquisas nas áreas de História Cultural e História da Arte. Docente nas disciplinas de História e História da Arte no ensino básico de 2007 a 2013.

Eliézer Cardoso de Oliveira, Doutor em Sociologia pela UnB. Docente do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais e Humanidades: Territórios e Expressões Culturais no Cerrado – TECCER da Universidade Estadual de Goiás e Professor do curso de História (UEG).

Possui graduação em História pela Universidade Federal de Goiás (1996), mestrado em História pela Universidade Federal de Goiás (1999) e doutorado em Sociologia pela Universidade de Brasília. Atualmente é professor efetivo do curso de História e do Mestrado em Territórios e Expressões Culturais no Cerrado, da Universidade Estadual de Goiás (Anápolis), lecionando as seguintes disciplinas; Teoria da História e Historiografia Brasileira. Tem experiência na área de História, com ênfase em História Cultural, atuando principalmente nos seguintes temas: história das cidades, história e sociologia da catástrofe e do medo, teoria da história, produção de livros didáticos em História Regional e historiografia brasileira.

Downloads

Publicado

2016-02-28

Como Citar

Afiune, P. de S., & Oliveira, E. C. de. (2016). Do maravilhoso ao desencantamento: Olhares sobre a natureza no cerrado nos séculos XVIII e XIX. Revista Brasileira De História &Amp; Ciências Sociais, 7(14), 310–326. https://doi.org/10.14295/rbhcs.v7i14.235