Rebuliços no passado: o ensino de história no museu comunitário

Autores

  • Cícero Joaquim dos Santos UFC

Palavras-chave:

Museu. Memória Social. Ensino de História.

Resumo

A pesquisa analisa as memórias construídas a partir da cultura material exposta no Museu comunitário Casa da Memória de Porteiras, localizado na cidade de Porteiras, no Cariri cearense, Nordeste do Brasil. Almejando compreender a invenção do passado mediante práticas educativas museais protagonizadas pelos jovens da Associação Retratores da Memória de Porteiras (REMOP), que administram o Museu, ela vem sendo desenvolvida, entrecruzando reflexões sobre a construção das memórias e os usos do passado no presente. Problematizando as aproximações e os distanciamentos entre a memória construída no Museu e os discursos históricos elaborados por outros grupos e sujeitos históricos, a pesquisa historiciza os passados inventados sobre a formação social de Porteiras. Além dos objetos expostos, ela utiliza como fontes os registros institucionais da entidade museológica, bem como periódicos, cartilhas jornalísticas e a historiografia do Ceará

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cícero Joaquim dos Santos, UFC

Doutorando em História pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Mestre em História pela Universidade Estadual do Ceará (UECE). Bolsista da Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FUNCAP). Pesquisadordo Núcleo de Pesquisa em Ensino de História e Cidadania (NUPHISC/URCA)e do Laboratório de Imagem, História e Memória (LABIHM/URCA).

Downloads

Publicado

2014-12-07

Como Citar

Santos, C. J. dos. (2014). Rebuliços no passado: o ensino de história no museu comunitário. Revista Brasileira De História &Amp; Ciências Sociais, 6(12). Recuperado de https://www.rbhcs.com/rbhcs/article/view/10558

Edição

Seção

Artigos Livres