Shudra: o trabalhador como movedor do mundo e seu mítico serviço na Índia antiga.

Autores

  • Arilson Oliveira UFMS

Palavras-chave:

Índia Antiga. Sistema Social. Trabalhadores.

Resumo

Dentro do contexto literário brahmânico da Índia antiga, os shudras (nosso objeto em foco) estão inseridos na primeira divisão do sistema social (varna), constituída por trabalhadores manuais de um modo geral, os quais fazem parte de uma categoria que opera serviços manuais pesados, técnicos ou comuns, como dirá Weber. Aqui, observamos como eles são apresentados visivelmente sem o desejo ou inclinação de devaneios filosóficos, do cultivo de svadhyaya (conhecimento intelectual), da vida guerreira ou econômica, possuindo, não obstante, uma psique ontológica inserida em uma realidade aparentemente em oposição aos brahmanas (sacerdotes e intelectuais), mas que na realidade lhes são naturalizados certos dons particulares que os ameniza das responsabilidades sócio religiosas, além de protegê-los socialmente

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Arilson Oliveira, UFMS

Prof. Adjunto do Departamento de Ciências Sociais da UFMS. Indólogo e Doutor em História Social pela USP.

Downloads

Publicado

2015-05-31

Como Citar

Oliveira, A. (2015). Shudra: o trabalhador como movedor do mundo e seu mítico serviço na Índia antiga. Revista Brasileira De História &Amp; Ciências Sociais, 3(6). Recuperado de https://www.rbhcs.com/rbhcs/article/view/10458